cover
Tocando Agora:

Setembro Amarelo

O MPSC promove ações de conscientização sobre Saúde Mental e Prevenção ao Suicídio

Setembro Amarelo
Setembro Amarelo (Foto: Reprodução)

Neste mês de Setembro Amarelo, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) está empenhado em promover a conscientização sobre saúde mental e prevenção ao suicídio. A campanha visa oferecer ajuda àqueles que enfrentam momentos difíceis, fornecer conhecimento à sociedade sobre questões de saúde mental e garantir que todos tenham seus direitos assegurados pela rede de saúde.

O Setembro Amarelo é uma campanha que está no calendário nacional desde 2013 e tem como objetivo a prevenção ao suicídio. O dia 10 de setembro é oficialmente o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Muitos casos de suicídio estão relacionados a doenças mentais não diagnosticadas ou tratadas de forma inadequada. Nesse contexto, o Ministério Público tem trabalhado para fortalecer as políticas públicas, ampliar o acesso aos serviços de atenção psicossocial e promover os direitos da comunidade, a fim de evitar essas tragédias, proporcionando tratamentos adequados e ambientes acolhedores que promovam saúde.

É importante ressaltar que o risco grave e as tentativas de suicídio são emergências médicas, assim como qualquer outra condição de saúde. Portanto, em casos de urgência, como risco iminente de suicídio, é fundamental acionar imediatamente os serviços de emergência, como SAMU, UPA e pronto-socorro. É importante notar que a pessoa não deve estar sozinha nesses momentos.

Caso não haja um risco iminente, é recomendado buscar ajuda de um médico psiquiatra e um psicólogo nos serviços de saúde disponíveis na região, como postos de saúde e o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Se os direitos não estiverem sendo atendidos, o Ministério Público está à disposição para ajudar a garantir o acesso adequado aos serviços de saúde.

O MPSC está comprometido em promover a conscientização sobre saúde mental durante todo o ano, mas o mês de setembro é uma oportunidade especial para aprender, participar das ações promovidas pelo Ministério Público e iniciar conversas abertas e respeitosas sobre saúde mental com as pessoas ao nosso redor. Às vezes, um simples diálogo empático e compassivo pode fazer toda a diferença.

Comentários (0)

Fale Conosco